domingo, 19 de fevereiro de 2017

Café com Política - p, 65 - 9º ano


Café com Política

                Análises recentes das sucessões presidenciais na Primeira república (1889-1930) mostram que a famosa aliança entre Minas Gerais e São Paulo, chamada de política do “café com leite”, não controlou de forma exclusiva o regime republicano. Havia outros quatro estados, pelo menos, com acentuada importância no celeiro político: Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco. Os seis, para garantirem sua hegemonia possuíam uma forte economia e (ou) uma elite política compacta e bem representada no Parlamento. E, juntos ou separados, participavam ativamente de todas as sucessões presidenciais ocorridas no período.
                Além desses estados, havia dois coadjuvantes respeitáveis: o Exército e o Executivo. Os militares se destacavam no regime em seus primeiros anos – durante a presidência dos marechais Deodoro da Fonseca (1889/1891) e de Floriano Peixoto (1891/’894) –, retornando ao poder em 1910, quando o país foi presidido pelo marechal Hermes da Fonseca (1910/1914). [...] Já o Executivo Federal conseguiu o privilégio de intervir sobre as oligarquias mais frágeis, impondo seu controle sobre elas quando julgasse oportuno, além de exercer atuação marcante na sua própria sucessão. [...]
                O poder de Minas Gerais nesse período é explicado não pela força econômica do gado de leite, mas pela sua projeção política garantida pela bancada de 37deputados, a maior do país. E a influência de Minas, também deriva da forte cafeicultura, já que foi o segundo maior produtor de café do Brasil até o final da década de 1920, sendo responsável por 20% em média. A expressão mais para a pressuposta aliança Minas Gerais seria, então, “café com café e não café com leite”.
Livro Didático História Sociedade e Cidadania- 9º ano
3ª edição- editora FTD p. 65
Para Refletir

A) Para a autora do texto, a tese de que São Paulo e Minas dominaram a política na Primeira República não se justifica. Que argumentos ela usa para derrubar a tese do “café com Leite”.
Ela chama atenção primeiramente para a existência de quatro outros estados que também tinham força na política nacional: Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Bahia, e Pernambuco. A seguir, mostra que o Exército e o poder Executivo também influenciavam na escolha do presidente da República durante a Primeira República.
B)Segundo o texto, o que explica a força de Minas Gerais na política nacional?
O poder de Minas Gerais devia-se a dois fatores: o fato de possuir a maior bancada do país (37 deputados) e de ser o segundo maior produtor de café do Brasil na época.
C) Você considerou os argumentos da historiadora convincentes? Justifique.
Pessoal
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário