domingo, 2 de novembro de 2014

Atividades 9º ano 214
1.      O curto governo de Jânio Quadros foi marcado por controvérsia e tensões com o Congresso Nacional. Explique o significado dessa frase, expondo os motivos que levaram o presidente a renunciar em 1961. Jânio Quadros foi eleito por um coligação conservadora (a UDN), mas tomou medidas que desagradavam o setor, como a condecoração do líder revolucionário Che Guevara e o restabelecimento de relações diplomáticas com a União Soviética. Ao mesmo tempo que contentava os liberais com o corte dos subsídios ao trigo e ao petróleo importados, o presidente anunciou o controle das remessas de lucro ao exterior e prometeu realizar um a reforma agrária no país. Essa falta de definição na política de Jânio desagradava tanto a direita quanto a esquerda brasileira. Para piorar a situação, o congresso Nacional era controlado pela oposição, representada pela aliança PTB-PSD, o dificultava a aprovação das propostas apresentadas pelo presidente. Pressionado, Jânio Quadros acabou renunciando ao poder. Acredita-se que Jânio pretendia dar um golpe para fechar o Congresso Nacional: objetivo era apresentar o pedido de renúncia, que não seria aprovado devido à falta de quórum, e fazer com que essa notícia repercutisse por todo o país para que o povo saísse ás ruas a favor de Jânio. No entanto, seu pedido foi aceito pelo Congresso e a população agiu com indiferença à decisão do presidente.

2.      Redija um pequeno texto sobre as reformas de base propostas por João Goulart, considerando seus principais pontos, objetivos e resultados. As reformas de base constituíram um conjunto de mudanças agrárias. Tributária, administrativa, bancária, eleitoral e educacional formuladas com o objetivo de  modernizar o capitalismo brasileiro e promover melhor distribuição de rendas no campo e na cidade. Entre as medidas estavam o direito de voto aos analfabetos, soldados, cabos e sargentos das Forças Armadas; a nacionalização das empresar prestadoras de serviços públicos e a indústria farmacêutica; ampliação do monopólio da Petrobras; e a limitação da remessa de lucros para o exterior. Essas propostas, no entanto, geraram intensas reações dos setores mais conservadores da sociedade, que as interpretaram como ameaças comunistas. Por essa razão, as reformas de base propostas por Jango não saíram do papel.

3.      Responda às questões a seguir sobre os Atos Institucionais decretados durante o regime militar brasileiro.

a.      Quais foram as principais medidas estabelecidas no AI-1? Promulgado em 1964 (pela Junta Militar), conferia  poder ao presidente da república para cassar mandatos e suspender direitos políticos de diversas personalidades da política nacional e de funcionários da administração pública
b.      O AI-2 foi decretado durante qual governo militar? O que ele estabelecia?  Foi decretado durante o governo de Castello Branco. O ato estabeleceu eleições indiretas para presidente e vice-presidente da república, conferiu poder ao presidente para baixar decretos sobre questões de segurança nacional e extinguiu os partidos, substituindo-os pelo MDB (Movimento Democrático brasileiro) e pela Arena (Aliança Renovadora Nacional).
c.      Quando foi decretado o AI-5? O que essa medida significou para os brasileiros? Foi decretado em 1968, durante o governo de Costa e Silva. Por meio dele, o Congresso Nacional foi fechado e o presidente ganhou o direito de intervir em estados e municípios, cassar mandatos parlamentares e suspender direitos políticos de qualquer cidadão por dez anos. O AI-5 significou o fortalecimento da repressão, da violência e da censura durante o regime militar, intensificaram as cassações, as perseguições de pessoas consideradas subversivas e as torturas.

4.      O depoimento a seguir é de Eronildes Guerra de Queiroz, um pernambucano que deixou sua cidade e mudou-se para Brasília no final dos anos 1950.
Aí eu vim num caminhão mais um primo meu. Aí disse que estava arrastando um dinheiro com rodo aqui. A notícia era essa: que tinha visto falar no jornal, no rádio, a notícia que a gente pregava de interior era quando a gente ia na cidade...A gente escutava as notícias: ouvindo falar isso e tal. E lá na cidadezinha tem um rádio, tem uma coisa, de pilha, de pilha não, de bateria. Não existia pila nessa época. Se existia, ninguém sabia que existia. Muito atrasado. Muito atrasado lá, e eu fiquei doido par vim pra Brasília pra ganhar dinheiro.”
Depoimento de Eronildes Guerra de Queiroz.
Livro Projeto Araribá 3ª edição p. 214
a.      Quem apresenta esse depoimento? Em que estado do Brasil ele nasceu? Depoente é Eronildes Guerra de Queiroz, nascido no estado de Pernambuco.
b.      Por que Eronildes se mudou para Brasília? “Eu fiquei doido pra vim pra Brasília pra ganhar dinheiro.
c.      Qual tipo de trabalho ele realizou em Brasília? Em Brasília, Eronildes trabalhou nas obras de construção da futura capital. Ele foi um dos muitos candangos que ajudaram a erguer a cidade de Brasília.
d.      Por que depoimentos como esse auxiliam o trabalho do historiador?  Os depoimentos orais representam um fonte de pesquisa para o historiador. Coletá-los possibilita preservar a memória dos trabalhadores e perceber o significado que as experiências do passado tiveram nas suas vidas e como elas são recordadas no presente. Quais eram os sonhos dos trabalhadores que se mudaram para Brasília? Como eles justificam hoje a realização desses sonhos ou as expectativas não realizadas? Que balanços eles fazem da decisão de mudar-se para Brasília? São questões como essas que afloram na ralação do entrevistador com o entrevistado e possibilitam  perceber com o presente recria, na memória, as experiências do passado.



5.      Observe atentamente a  charge da página 206 e responda.
a.      Que personagens foram representados pelo artista na charge? A charge representa o presidente Juscelino Kubistchek, à esquerda, e o povo brasileiro, à direita.
b.      Explique a crítica presente na charge. você concorda com ela?  A charge faz um crítica á política desenvolvida por JK durante o seu governo, que priorizou o crescimento econômico do país e deixou as questões sociais, como o analfabetismo, a pobreza e a concentração de renda, em segundo plano. O objetivo de Juscelino era promover a modernização e o desenvolvimento econômico acelerado do Brasil sob o lema “cinqüenta anos em cinco”. Para isso o presidente elaborou o chamado Plano de Metas cuja finalidade era investir em energia, transporte, alimentação, industria de base e educação. JK também facilitou a entrada de capital estrangeiro no país e a instalação de empresas transnacionais, sobretudo norte-americanas, acreditando isso ajudaria o Brasil a crescer. O resultado dessas medidas foi o grande crescimento econômico do país: hidrelétricas, rodovias e ferrovias foram construídas; multinacionais automobilísticas foram instaladas no país, especialmente em São Paulo, a nova capital do país Brasília foi inaugurada etc... Apesar dessa euforia, os problemas sociais e econômicos continuaram: o Brasil endividou-se; a concentração de renda aumentou, assim como a desigualdade regional, já que os investimentos concentravam-se na Região Sudeste; a população sofria com os altos índices de analfabetismo ECT.




7 comentários:

  1. ÓTIMA POSTAGEM.
    Me Ajudou muito, mesmo.


    Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  2. Ótima explicação, ajudou muito !

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigado professora, me ajudou muito!

    ResponderExcluir
  4. Cad o resto das questoes ?? Tem a 6 e a 7 ainda cad?

    ResponderExcluir
  5. muito bom me ajudou bastante

    ResponderExcluir